Solimar Silva
Crônicas, poesias, artigos diversos, livros, cursos, palestras e oficinas!
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Lições de Dory para o sucesso profissional

Amo filmes infantis com os quais nós, adultos, podemos aprender ou, melhor ainda, sair repletos de ideias e inquietações. É o mesmo que acontece com a boa literatura infantil. Se não agradar ao adulto, corre-se o risco de não servir á criança também.
Então, eis algumas das lições que aprendi com a Dory (no filme Procurando Dory) sobre empregabilidade, liderança e sucesso profissional:

1 - Você vai ser rejeitado. E daí?
No filme, a pequena Dory, perdida de seus pais, interpela, incansavelmente, os peixes transeuntes em busca de ajuda e orientação. Alguns chegavam a ser rudes com ela, demonstrando nenhuma disposição ou paciência para ouvi-la.
Mesmo não obtendo êxito por um longo período de tempo, Dory manteve o bom humor e uma atitude positiva a vida inteira.
Não se deixar desanimar por rejeições é uma grande habilidade para o sucesso. Faz parte da resiliência, termo da física que tem sido amplamente difundido em outros campos, como a psicologia. De forma geral, resiliência é a capacidade humana de não se deixar abater diante da adversidades.
Ser capaz de lidar com as rejeições é necessário em diversos campos de atuação. Imagine o vendedor que desista no primeiro não, se estatísticas parecem indicar que são necessários, em média, quinze nãos antes de se fechar uma venda. Lembre-se, é apenas uma média. Então, tem muita gente por aí recebendo muito mais nãos antes de conseguir chegar ao sim. Imagine o escritor que tem seu livro recusado por uma editora e desiste de escrever. Escritores como J.K Rowling e Stephen King, hoje com milhões de cópias de seus livros vendidos, segundo contam, já foram rejeitados 12 e 30 vezes respectivamente!
Encare a rejeição como escada para o sucesso. Cada não, um degrau. Continue nadando e, por favor, mantenha seu bom humor.

2) Não ligue se as pessoas não derem atenção?
No filme, muitos peixes continuaram em frente, parecendo sequer ver a pequena Dory. Ela parecia invisível. 
Tenho tentado ensinar esse princípio a meu filho, que hoje tem seis anos. Ele está começando a aprender violino e, às vezes, "compõe" algumas canções. Se o pai dele e eu estamos ocupados em outro cômodo da casa e acabamos por não aplaudi-lo ao final do número, ele se mostra desapontado. Sempre mostro a ele, amorosamente, que não devemos buscar os aplausos e aprovação das pessoas por / para fazer um trabalho bem feito.
Claro que reconhecimento é importante e nos faz bem, porém precisamos aprender a fazer um ótimo trabalho mesmo que ninguém for aplaudir ou reconhecer. A maior parte do trabalho de um espetáculo é feita nos bastidores. Mas, se o trabalho de bastidor não for bem feito, não há espetáculo.
Em uma viagem a São Lourenço com minha família, reservei uma manhã com meu filho para apreciarmos a natureza. Naquele dia, Ney Mello, saxofonista, estava tocando em um palco no Parque das Águas. Bancos completamente vazios. Alguns visitantes ainda paravam, de longe, para ouvi-lo, mas muitos não se delongavam nessas paradas.
E lá continuava o artista fazendo o seu melhor, como provavelmente o faria com lotação esgotada. Aproveitei para ensinar essa pequena lição a meu filho: não espere por aplausos. Não se preocupe se ninguém te der atenção. Mas, faça sempre um trabalho digno de ser aplaudido.

3) O importante é conhecer quem saiba fazer
Uma das lições poderosas do filme: "Não sei, mas conheço quem faz".
Essa pequena frase traz dois ensinamentos importantes:
O primeiro é a importância do networking. São os relacionamentos construídos e nutridos, as interações estabelecidas com outras pessoas e os contatos mantidos pontos importantíssimos para alcançarmos metas. Não importa se você não sabe, desde que tenha contato direto com quem sabe.
O segundo ponto, ainda mais importante para empreendedores, é a organização de equipes que possuam habilidades que o líder não possui. Orquestrar equipes interdisciplinares para processos criativos é habilidade de grandes líderes. O segredo é cercar-se de pessoas talentosas e competentes. De preferência, mais que você.
Então, não se preocupe com o que você não sabe. Invista no que sabe de melhor e use sua rede de contatos para procurar quem sabe fazer o que você não sabe.

4) Sempre tem outro jeito
Consigo visualizar dois caminhos com o ensinamento do filme Procurando Dory. 
Sempre tem outro jeito é uma lição simples e básica sobre criatividade. O tal do pensar fora da caixa, não se contentar com a primeira resposta. É ser capaz de buscar novas maneiras de se realizarem atividades diversas. É bom que tenhamos a mentalidade  de buscarmos sempre novos jeitos, onde novos jeitos forem necessários.
Sempre tem outro jeito também traz consigo a importância da perseverança, da esperança quando as coisas não estão saindo conforme planejamos. É não desanimar com obstáculos e portas fechadas.
Sempre tem jeito. E sempre existe outro jeito também.

5) Aprendemos com o coração
Já escrevi sobre essa lição com mais detalhes AQUI, mas neste artigo gostaria de destacar que melhor aprendemos sobre o que nos apaixona, o que nos faz esquecer até mesmo da noção de tempo.
Quando alguém me diz que não gosta de ler, logo imagino que a pessoa ainda nã oencontrou um livro pelo qual se apaxonasse ou um assunto que faça seus olhos brilharem.
Procure pelas áreas de saber que te deixem ávido por mais informação, mais aprendizado e verá como aprender com o coração faz todo o sentido. Você vai se tornar especialista naquilo que fizer seu coração bater mais forte. Apaixone-se por um assunto e compreenda na prática o que realmente significa saber de cor.

6) Incentive e dê liberdade
Os pais de Dory, sabedores de sua individualidade e limitações, incentivaram o seu melhor, ensinaram caminhos, mas, sobretudo, buscaram dar liberdade para que ela pudesse crescer e extrair o máximo de seu pontencial.
Assim é na criação de filhos, liderança de equipes ou gestão de carreiras de sucesso. Precisamos pavimentar nosso caminho, não com as conchinhas que os pais de Dory colocaram para que ela encontrasse o caminho de casa, mas com todos os passos, ingredientes, ferramentas, conhecimentos e experiências que nos façam alcançar nosso propósito de vida.

Sucesso a todos!


Publicado originalmente no LinkedIn Pulse
Solimar Silva
Enviado por Solimar Silva em 29/08/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários